Páginas

sábado, 17 de dezembro de 2011

O trabalho dignifica o homem! Será?


Quando falamos em trabalho, muitas pessoas pensam que o trabalho “dignifica o homem”, embora que seja necessário trabalhar para nossa sobrevivência; colocar alimento, roupas, e acessórios em casa é importante para nosso bem-estar. O trabalho sempre esteve presente na vida do ser humano, pois todas as coisas materiais que existem na sociedade foram feitas pelo homem. Mas será que o trabalho influência no meu modo de pensar, refletir e raciocinar? 
A partir de uma leitura do pensador alemão Karl Marx, existe uma teoria filosófica sobre a constituição do trabalho, esse pensador pensa da seguinte forma: os homens, para construí a si mesmo, devem manipular a natureza (pedra, madeira, ferro, terra, etc.). O homem vive uma relação constante com a natureza, por isso, ao transformar a natureza o homem transforma a si mesmo. Essa transformação de si significa que o individuo adquire conhecimento das coisas que ele manipula. Mesmo sabendo que o homem  esteja submetido a natureza, o indivíduo tem o potencial de modificá-la. Ao realizar essa ação, o homem realiza o trabalho
Nessa explicação, podemos dizer que o trabalho é uma condição da existência humana, ela é ação do homem, que primeiro é realizado na mente (pensar, refletir, projetar, elaborar) para que logo em seguida for efetuada na prática (ação, Manipulação) que o indivíduo realiza na natureza (materiais existentes na terra).
O pensador alemão estabelece a diferença do trabalho de um animal racional (o homem) de um animal irracional (uma arranha, formiga, etc.), mesmo sabendo que ambos são animais. Enquanto os animais irracionais, por exemplo, uma aranha que faz sua teia por mera atividade instintiva para sobrevivência. Homem, por outro lado, tem a capacidade racional de fazer seu trabalho, ou seja, de pensá-lo, elaborá-lo, planejá-lo e refletir sobre a matéria, ou seja, o homem tem a capacidade de realizar o trabalho independentemente de sua necessidade para sobrevivência, ou seja, além de realizar o trabalho para sua própria necessidade ele realiza para outros indivíduos (socializa).
Os indivíduos ao realizar o trabalho modificam as suas estruturas físicas como, por exemplo, sua capacidade racional de refletir sobre a natureza, ocorrem também uma transformação em sua existência. Por isso, o autor fala que ao realizar o trabalho o homem constrói a si mesmo.
Em Marx, os homens necessitam realizar o trabalho para criar seus próprios meios de subsistência, ou seja, para sobreviver o homem trabalha para conseguir sua alimentação, vestimenta, sua moradia, seu agasalho, etc. para em seguida fazer História, pois para Marx, o homem necessita primeiro suprir essas necessidades básicas para se realizar como agente transformador da História.      
Depois dessa análise, percebemos que o trabalho em Marx é fundamental para a vida do indivíduo. Contudo, percebemos que no mundo tanto no tempo histórico do autor (século XIX nos meados da revolução industrial) como nos tempos atuais, o trabalho nos apresenta de forma destrutiva. Pois, nos faz ficar às vezes estressado, irritados, em alguns casos depressivos. Esse modo de trabalho, ou melhor, esse “sistema” que se chama sistema capitalista, que compra força de trabalho dos outros homens, o fazendo produzir os produtos com as ferramentas dos capitalistas. Assim, o homem perde todo aquele argumento que Marx elaborou sobre o trabalho que constrói o homem. Por isso, para autor a partir do momento que o homem vende sua força de trabalho, ele não tem consciência do produto realizado por ele mesmo, pois o modo de trabalho assalariado do sistema capitalista tem a força para “destruir” o homem.
Ao analisar essa destruição do homem devemos nos perguntar: o que será então a causa da degradação do homem? Segundo Marx, a propriedade privada é a causa dessa forma degradante de trabalho. Porém, essa propriedade não é algo metafísico ou imaginário, pois foi o próprio homem que a criou, ou seja, os indivíduos da classe dominante (Donos das Grandes Corporações)
Por isso, a importância de estabelecer o que é trabalho, o que é labor. Com isso, devemos entender aquela frase “o trabalho dignifica o homem”, mas devemos diferenciar que tipo de trabalho que dignifica o homem? O trabalho capitalista que nos estressa, que nos irrita, etc. ou trabalho em que o pensador alemão coloca como aquele estabelece o homem como transformado da natureza, da historia, da sociedade.


                                                                        Autor: Leonardo dos Reis

3 comentários:

  1. meninos...estou aqui!!!! é a Bruna rsrsrs adorei o blog de vcs, parabéns!!! um abraço bem grande, e um feliz natal pra vcs.

    ResponderExcluir
  2. poxa q bom q vc gostou bruna,fico feliz. desejo também a vc um feli natal e também um feliz fim de ano....sucesso.

    ResponderExcluir
  3. Karl Max disse que o trabalho aliena o homem. O trabalho dignifica( ou enobrece) o homem é de Max Weber em sua mais importante obra A ética protestante e o espirito do capitalismo.

    ResponderExcluir